Buscar

23 erros que podem acabar com o seu Escritório de Advocacia

Atualizado: 14 de Out de 2020


Muitos advogados, iniciantes ou mais experientes, começam a perceber que o escritório não está indo bem, mas não sabem identificar exatamente quais são os motivos.


Normalmente isso ocorre com sócios que negligenciam sua gestão financeira, administrando seu escritório levando em conta apenas o saldo bancário.

23 erros na advocacia
Erros na gestão de escritórios de Advocacia

Por isso nesse breve artigo, listamos 23 erros que podem levar seu escritório a falência.


1 - Não estudar sobre gestão financeira;


Para que o advogado ou gestor possa realizar um acompanhamento efetivo das finanças de seu escritório, é primordial que ele se mantenha atualizado sobre as melhores práticas, através de cursos e seminários sobre o tema.


2 - Não separar finanças pessoais das finanças do escritório;


Esse é um erro muito comum principalmente em escritórios que estão começando suas atividades, pois o advogado acaba utilizando sua conta bancária pessoal para receber dos clientes e para pagar as contas do escritório. Essa confusão é muito prejudicial para realizar os controles financeiros.


3 - Não categorizar os lançamentos financeiros;


Se não categorizarmos cada saída ou entrada de caixa não teremos como analisar o comportamento financeiro do escritório. E a melhor forma pra isso, é elaborar um plano de contas gerencial.


4 - Não descontar as taxas bancárias de boleto e cartão de crédito;


Na maioria das vezes as taxas bancárias passam despercebidas, porém ao apurar todos os valores no final do mês, elas podem representar um valor significativo. E por isso elas devem ser levadas em conta na sua formação de preço.


5 - Não analisar a inadimplência;


A inadimplência é uma constante para a maioria dos escritórios. O gestor precisa conhecer bem qual é o índice de inadimplência do seu escritório, para pode realizar o ajuste dos valores do contas a receber em seu planejamento financeiro.


Saiba mais acessando o artigo 4 Passos para calcular o Índice do Inadimplência do seu Escritório.


6 - Não estabelecer metas de vendas e faturamento;


“Se você não sabe onde quer chegar, qualquer caminho serve”. Se você não definir suas metas, qualquer resultado bastará, inclusive o prejuízo! As metas servem para direcionar as suas ações e esforços.


7 - Não realizar provisões para férias e 13º;


Para que você não tenha um grande impacto em seu caixa no final do ano e sempre que colocar algum colaborador de férias, é importante realizar reservas mensais para essas finalidades.


Quer saber quanto custa um funcionário em um escritório? Acesse: http://www.duolinea.com.br/single-post/Quanto-custa-um-funcionario-em-um-Escritorio-de-Advocacia


8 - Não acompanhar suas despesas fixas;


Você deve acompanhar suas despesas fixas para que possa agir sempre que necessário, por exemplo, se a conta de energia aumentou significativamente de um mês para outro, você poderá instituir ações para economia de energia em seu dia a dia.